Telefone | +351 253 951 000    Contactos

Home > Notícias > 2015 > Carnaval - Correio do Minho

Carnaval - Correio do Minho

Fevereiro 18, 2015 at 10:04 Antes do meio-dia

Carnaval 2015 CM

A boa disposição e sentido de humor foram os ‘convidados especiais’, da tarde de ontem, no sexto Desfile de Carnaval promovido pela Junta de Freguesia de Ruílhe. Ao som dos bombos, os ruilhenses, representando os respectivos lugares, saíram à rua e mostraram que no Carnaval “vale tudo e ninguém leva a mal”.

Para o presidente de junta de freguesia, António Araújo, que também se vestiu a rigor, a evolução tem sido notória, mas o desejo é que o desfile “seja cada vez mais participado e com mais qualidade”. E António Araújo foi mais longe: “não queremos parar, queremos melhorar e ter um desfile cada vez mais participado”.

Com uma organização diferente, este ano o executivo decidiu desafiar os ruilhenses por lugar. E o desafio foi aceite. Às habituais representações individuais, ontem não faltaram os grupos a ‘dar a cara’ pelo lugar. “Chamamos os lugares da freguesia e incumbimos cada um de fazer pelo menos uma representação por lugar. Estão quase todos os lugares representados e alguns têm até duas e até três representações”, informou o autarca, visivelmente feliz pelo ‘sim’ dos ruilhenses.

“Com os eventos que fazemos durante o ano, o Carnaval, porque está próximo das festividades natalícias e aqui a junta de freguesia também tem muito trabalho, resta sempre pouco tempo para o Carnaval”, confessou o presidente de junta.

António Araújo foi professor de Educação Visual e Tecnológica e sempre teve o ‘bichinho’ do Carnaval. “Dei aulas num concelho em que o Carnaval fazia parte do seu ser e, na altura, chamavam as escola e as instituições para participarem e aderi desde a primeira hora de alma e coração. A partir daí ficou este gosto maravilhoso e consegui transmitir esse gosto aos ruilhenses”, contou o presidente, lembrando que alguns elementos da equipa do executivo também partilhavam essa mesma paixão e assim decidiram avançar com o projecto. “Hoje, alguns deles já não fazem parte da equipa da junta de freguesia, mas continuam a apoiar e a participar nesta festa”, referiu.

António Araújo destacou ainda “o entusiasmo e a alegria” dos ruilhenses em participarem no desfile. “Hoje as pessoas participam e começam a desinibirem-se. A minha mulher ganhou o primeiro prémio no desfile do ano passado e nem eu sabia que era ela”, lembrou.

A Junta de Freguesia de Ruílhe promove e organiza o desfile que ‘corre’ as principais ruas da freguesia. No final do desfile, o júri, exterior à organização, escolheu o Melhor Lugar/Grupo, o melhor mascarado/criança e o melhor mascarado/adulto, recebendo prémios simbólicos, nomeadamente um acrílico com o brasão da freguesia. A festa terminou com lanche/convívio.

Desfile “fortalece laços” entre foliões 

Com o S. Pedro a dar uma ajudinha, o sexto desfile de Carnaval de Ruílhe saiu à rua, ontem à tarde, recheado de cor, boa disposição e muito orgulho à mistura. Entre os ruilhenses era visível a vontade de querer continuar com este projecto.
Entre o grupo de bombos ‘Os Tambolosa’, de Tebosa, e o grupo ‘Bombos do Infante’, da Alfacocop, o desfile percorreu as principais ruas da freguesia, terminando com a entrega dos prémios e a queima do Judas.

Manuela Costa, porta-voz do grupo que representou o Lugar de Carcavelos, estava “feliz”. “As moradoras do lugar têm participado sempre, mas de forma individual, mas este ano aceitamos o desafio da junta de freguesia e juntamo-nos”, contou aquela ruilhense, mostrando-se “orgulhosa” do resultado. Entre ases e duques nem a rainha do baralho de cartas faltou à festa. “Este tema ainda não tinha sido abordado em nenhum desfile e achamos que seria uma excelente ideia”, admitiu a jovem, referindo que as tardes de sábado e noites passadas a trabalhar neste projecto “vale sempre a pena”. As oito moradoras esperam, para o próximo ano, “conquistar” outras senhoras e senhores do lugar para participarem no desfile. 

Também José Santos voltou a participar no Desfile de Carnaval. Este ano, a representar o Lugar de Ruílhe, aquele morador optou por apresentar o Judas condenado a ser queimado. “Tratamos do assunto nas últimas 24 horas”, confessou momentos antes de começar o desfile.

A participar pela primeira vez, António Matos era o porta-voz da representação dos Lugares do Areeiro e do Esqueiro. “Esta é a primeira vez que nos juntamos e participamos no desfile para que isto não acabe”, sublinhou aquele morador, enquanto os outros elementos dos lugares ultimavam os pormenores para o carro dos namorados avançar. A celebração do Dia de S. Valentim, comemorada no dia anterior, inspirou este grupo. 

No carro alegórico nem a cama faltou. Pequenos e graúdos vestiram-se de cupidos e nem os piropos de amor foram esquecidos. 
Quase no fim do desfile, seguiam os moradores dos lugares do Monte e de Felgueiras, que escolheram como tema as ‘Mudanças Low Cost’. “O objectivo é estar entre amigos e fortalecer os laços entre nós”, assegurou aquela moradora, explicando que o tema surgiu “em pé de conversa”. A partir daí foi “meter mãos ao trabalho”. O resultado foi do agrado de todos.

Tags: Carnaval 2015 Correio do Minho